DOM PEDRO BRITO ELENCA AS BEM-AVENTURANÇAS DOS DIÁCONOS

DOM PEDRO BRITO ELENCA AS BEM-AVENTURANÇAS DOS DIÁCONOS

O Arcebispo de Palmas, Tocantins, Dom Pedro Brito Guimarães,  elencou as «Bem-Aventuranças do Diácono» na homilia da Missa solene de Ordenação de 15 Diáconos permanentes no dia 27 de novembro de 2021. Leia abaixo:

AS BEM-AVENTURANÇAS DO DIÁCONO

1. Bem-aventurado és tu, diácono, por te parecer com Jesus Cristo, o Filho do Homem, o âncora da nossa fé, o Mestre e Senhor, o Servo e servidor, obediente, sofredor e ressuscitado, desde Belém, Nazaré, Cafarnaum, Tiberíades, Jericó, Jerusalém, Judeia, Galileia, até os confins da terra;

2. Bem-aventurando és tu, diácono, porque és chamado quando os órfãos, as viúvas e os migrantes estão sem assistências e sem os necessários para viver com dignidade;

3. Bem-aventurado és tu, o diácono, porque não resume o teu ministério ao altar, mas o eleva e alarga, até às periferias existenciais e geográficas do mundo, no passo e no compasso da sinodalidade;

4. Bem-aventurado és tu, diácono, porque capaz de te encontrar com Jesus e de ler a sua cruz nas cruzes da Igreja e do povo. E ao te encontrar com Jesus, ouvistes da sua boca: “a tua fé te fez bem”(Lc 17,11-19);

5. Bem-aventurado és tu, diácono, porque te sentas e navegas na Barca de Pedro, pelos mares calmos ou bravios da história, mesmo quando há bonança ou tempestade e quando o mar está ou não para peixe;

6. Bem-aventurado és tu, diácono, porque vive a dupla sacramentalidade: um olho e um pé na sua família e no seu trabalho e o outro pé e o outro olho na Igreja e nas suas pastorais. Por ter uma casa, ser um esposo, ter uma família, filhos e, quem sabes, netos; ter uma profissão e um trabalho para ganhar o pão de cada dia;

7. Bem-aventurado és tu, diácono porque não te deixastes contaminar pelas pandemias que sequelam e matam muitos de nossos povos. E das cinzas de todas essas pandemias – no sol, na lua, nas estrelas, na terra, no mar e nos homens -, ajudas ao renascer de uma nova Igreja sinodal, na comunhão missionária, na participação e na missão missionária, por mais estranho que pareça;

8. Bem-aventurado és tu, diácono porque “perde” horas a fio em oração: na escuta de Deus para poder escutar o povo de Deus;

9. Bem-aventurado és tu, diácono, porque tua vida é um advento e uma epifania do Reino, pedido toda vez que rezas o Pai nosso;

10. Bem-aventurado és tu, diácono porque vives e caminhas, na fé, pois, te deixando despertar e “desbordar” pelo amor criativo do Espírito;

11. Bem-aventurado és tu, diácono, porque és namorado de Jesus e da sua Igreja em saída, como em saída é Jesus, sabendo que o mais importante não é chagar primeiro, mas chegar juntos e a tempo;

12. Bem-aventurado és tu, diácono, por responder, de coração, com fé e esperança estas duas perguntas primaciais, do Rito da tua ordenação: “Queres, pois, ser consagrado a serviço da Igreja mediante a imposição de minhas mãos e a graça do Espírito Santo?” E “queres, imitar sempre, na tua vida, o exemplo de Cristo, de cujo Corpo e Sangue, estarás a serviço? Por fim, se um dia alguém te perguntar: – “o que trazes nas mãos?”, responda: – “trago nas minhas mãos sementes…!” E que, um dia possamos dizer, a uma só voz: “a vocação diaconato é bonita. E o bonito é realmente bonito!” Estes são os meus sonhos, os meus desejos e as minhas sedes, em ti e por ti. Deus te abençoe hoje e sempre. Amém!

Dom Pedro Brito Guimarães, Arcebispo de Palmas Palmas-TO, 27/11/2021

Foto cedida

cnd.or.br

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.