Plenário dos Grupos apresenta pistas para melhorar formação diaconal

Conforme a pauta de trabalho do XIV Encontro Nacional de Diretores e Formadores de Escolas Diaconais, que está sendo realizado no Centro de Treinamento de Líderes da Arquidiocese de Salvador, BA, foi trazido à plenário o resultado dos debates em grupo sobre o “VER”, que constou de 3 pontos: 1) Como estão contempladas as 5 dimensões nas Escolas Diaconais, tendo em vista o tríplice múnus; 2) Como é avaliado o resultado do trabalho formativo de sua Escola na vida e no ministério dos Diáconos; 3) Especifique os pontos positivos e as dificuldades no processo formativo.

Foram formados na manhã desta quarta-feira, 16, dois grupos de Diretores de Escolas Diaconais, um grupo de Formadores, um grupo de secretários de Escolas e um grupo com os presidentes ou representantes da CRDs (Comissões Regionais dos Diáconos) e CDDs (Comissões Diocesanas dos Diáconos). Os grupos tiveram duas etapas de partilhas e debates na parte da manhã e apresentaram o resultado na plenária realizada às 14h, no Auditório do CTL.

Os relatores dos grupos de Diretores apresentaram o que segue: há muita diversidade no processo formativo das Escolas Diaconais, por causa de realidades culturais, econômicas e até de espiritualidade nas regiões do país. Também destacaram a dificuldade de relacionamento entre alguns párocos e diáconos, que afeta também os candidatos nas Escolas. Some-se a isso, a falta de acompanhamento do perfil dos candidatos, visto que mostram um perfil compromissado durante a formação e, depois de ordenados destacam-se pelo individualismo, distanciamento, falta de aplicação no ministério.

Os Formadores destacaram como ponto positivo a realização de retiros e encontros com esposas e filhos dos candidatos, e a integração das famílias com os diáconos e suas famílias. Há em várias Escolas o acompanhamento psicológico, humano-afetivo e eventos de confraternização. Com relação aos candidatos, há Escolas que promovem desde o início uma efetiva formação pastoral e comunitária, como0: missão nas comunidades, especificando o compromisso missionário; integração com a Cáritas e Pastorais Sociais; estágio pastoral em paróquias e comunidades; experiência pastoral em condomínios fechados; experiências em diaconias territoriais e ambientais; ação ecumênica e diálogo inter-religioso; participação nos Conselhos Comunitários e Paroquiais de Pastoral. Há uma Escola Diaconal que está oferecendo formação em Líbras (para os deficientes auditivos), como modelo de inserção.

Os diáconos Alberto Magno e Antonio Héliton apresentaram em plenário os compromissos de Gestão e Planejamento para a CND, e que deverão contribuir para melhorar a performance das Escolas Diaconais no processo formativo. “É preciso mostrar a CND, explicar o porquê de sua existência, a filiação que promove o sentido de pertença, de que vale à pena promover a comunhão entre os diáconos e com os bispos, presbíteros e povo nas comunidades”. A articulação que deve ser promovida com planejamento e gestão pela CND, facilitará a articulação das CRDs e CDDs e com as Escolas Diaconais.

O objetivo deste Encontro é “ouvir”, “estudar”, “receber as sugestões”, ver a “viabilidade” e “promover” a integração necessária.

De Salvador, BA, diácono José Carlos Pascoal – ENAC / CND

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.