As paróquias inciciam neste final de semana a divulgação sobre a escola diaconal que inicia este ano na Arquidiocese de Pouso Alegre. Os materiais gráficos e as apresentações serão apresentados nas missas nestes dias 26 e 27 de maio.

"Todas as paróquias estarão unidas em oração no último final de semana do mês de maio, 26 e 27 de maio, rezando em todas as missas para que Deus desperte vocações ao diaconato permanente. Na ocasião será distribuído panfleto informativo sobre este novo passo na Arquidiocese, valorizando e acolhendo estas vocações", afirmou padre Daniel Santini, um dos membros da comissão para esta causa.

Após a apresentação do tema, toda a comunidade é convidada, juntamente com o pároco, fará a indicação de possíveis candidatos. Cada candidato deverá passar uma entrevista com seu respectivo pároco. Essa apreciação será enviada à comissão e ao Arcebispo Metropolitano, para início da escola diaconal. A escolha dos candidatos devem obedecer alguns critérios: pessoal, eclesial, familiares e comunitários.

De acordo com o Catecismo da Igreja Católica, no seu número 1570, define que "os diáconos participam de modo especial na missão e na graça de Cristo. O sacramento da Ordem marca-os com um selo ('caráter') que ninguém pode fazer desaparecer e que os configura com Cristo, que se fez 'diácono', isto é, o servo de todos. Entre outros serviços, pertence aos diáconos assistir o bispo e os sacerdotes na celebração dos divinos mistérios, sobretudo da Eucaristia, distribuí-la, assistir ao Matrimônio e abençoá-lo, proclamar o Evangelho e pregar, presidir aos funerais e consagrar-se aos diversos serviços da caridade". Um diácono pode batizar, assistir aos matrimônios, assistir os enfermos com o viático, celebrar a Liturgia da Palavra, pregar, evangelizar e catequizar.

Dentros os requisitos pessoais, destaca-se que a idade canônica para ser ordenado diácono permanente é de 35 anos para os solteiros e de 37 anos para os casados e/ou viúvos e idade não muito avançada, ou seja, não superior a 55 anos. Ao atingir os 75 anos de vida, o diácono deverá se tornar emérito.

As aulas terão início em agosto, com duração de quatro anos. As aulas serão sempre aos sábados, duas vezes ao mês, com 8 horas/aula de forma presencial (das 8h30 às 16h30) e 4 h/a de atividade extra-classe por sábado letivo, com atividades a serem realizadas em casa, pós cada encontro, totalizando 12 horas/aula por encontro.

Serão 10 sábados letivos por semestre, num total de 240 horas/aula por ano, totalizando  960 horas/aula, sendo 640 horas/aula de forma presencial e 320 horas/aula de atividade extra-classe durante todo o curso. Além disso, será necessária a produção de um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), considerando uma carga horário de 140 horas/aula para sua elaboração. Desta forma, a Escola Diaconal terá uma carga horária total de 1100 horas/aula.