Ministros da alegria e da solidariedade: Diocese de Santo André ganha 16 novos diáconos permanentes

Um momento inesquecível na vida da Igreja Particular de Santo André e para aqueles enviados em missão! Em plena vigência do 8º Plano Diocesano de Pastoral (2018-2022), 16 novos diáconos permanentes foram acolhidos pelo Clero da Diocese de Santo André, ao serem ordenados para o ministério diaconal na tarde de domingo (12/12), durante a celebração eucarística da Festa de Nossa Senhora de Guadalupe e do III Domingo do Advento presidida pelo bispo diocesano Dom Pedro Carlos Cipollini, na Paróquia Sagrada Família, no Jardim do Lago, na Região São Bernardo – Anchieta.

Cerca de mil pessoas estiveram presentes na solenidade de ordenação diaconal, entre elas, os membros da diretoria da Escola Diaconal: Dom Pedro Carlos Cipollini (presidente); Pe. José Pedro Teixeira de Jesus (diretor), Diác. Wagner Innarelli (vice-diretor); Diác. José Carlos Júnior (secretário) e o Diác. Everson Neves Mendes (formador), além de diáconos, padres, seminaristas, amigos, esposas e familiares dos recém-ordenados diáconos permanentes.

Com os 16 ordenados neste domingo, a diocese passa a contar com 48 diáconos permanentes ativos em todo o território diocesano, composto pelas sete cidades do Grande ABC (Santo André, São Bernardo Campo, São Caetano do Sul, Mauá, Diadema, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra).

“O diácono é o ministro da alegria e da solidariedade. O diácono anuncia a vitória de Cristo e a alegria de amar e de servir como Jesus o fez. Sejam homens de Deus, homens da solidariedade”, disse Dom Pedro, ao falar da atuação do ministério diaconal na Igreja, agradecer o apoio das famílias e projetar uma Igreja cada vez mais do serviço na evangelização e na promoção humana.

“Ser solidário é dizer não à cultura do descarte; é dizer não à globalização da indiferença; é trabalhar para construir a paz; servir sem interesse de lucro, significa entrar em relação com quem está em estado de necessidade; é acompanhar e não se contentar em deixar o pobre assim como está; é defender, reconhecer e acolher os pedidos de justiça e esperança; por último, ser solidário é também saber chorar. “Chorar com os que choram”, como diz o Apóstolo Paulo, e “Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados” (Mt 5,4), diz Jesus Cristo. Cristão não pode se submeter a um tipo de sociedade que esqueceu a experiência do ‘chorar’ “, enfatizou o bispo, ao apontar sete direções para uma vida ligada à prática da solidariedade.

Forma ordenados:  Carlos Caviola Foiani, Eduardo de Alcântara, Fabiano Roque Barreiros, Gilberto Cavignato, Guido Evaristo Roggi, Haroldo Bezerra, João Oliveira dos Santos, João Ribeiro de Souza, José Antonio Miichéias, José Carlos Denove, Márcio Giovani Buttignol, Robin Dominício Januário, Salustiano Alves Viana Júnior, Sandro Alex Bermudes, Sidinei Antoniase e Silvio Bezerra da Silva.

A Presidência da Comissão Nacional dos Diáconos, diácono Francisco Salvador Pontes Filho enviou mensagem ao bispo diocesano de Santo André dom Pedro Carlos Cipollini, parabenizando também os formadores e, especialmente os novos Diáconos Permanentes e seus familiares.

Fonte: https://www.diocesesa.org.br/

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada.