Ore por mim

Diác. Gonzalo Eguía
Coordenador de Servir en las periferias
Bilbau, Espanha, 1 de maio de 2020

É a frase de despedida do Papa Francisco em cada um dos seus encontros: “peço-vos, por favor, que rezeis por mim”. Um sinal de amor e compromisso.

A oração de intercessão não é uma ação mágica ou milagrosa, é antes de mais um exercício de imenso amor, mostra o amor confiado que o intercessor sente de Deus, que o intercessor pronuncia
e, ao mesmo tempo, o amor para a pessoa a quem se destina desejando-lhe toda a proximidade ao amor e apoio divino.

Nesta ocasião não há nenhum guia sobre a pandemia, pois uma grande parte do Informativo – como não podia ser de outra forma -, tem que ver com artigos relacionados com este duro momento que
vive a humanidade. Quanta dor e sofrimento; diante dos milhares de seres humanos falecidos, dos enfermos, suas famílias e aqueles que perdem seus trabalhos, ou estão sós…!

Desejamos que este Informativo seja uma convocatória para ativar a oração de intercessão por todas e todos, mulheres e homens, nossas irmãs e irmãos.

A oração de intercessão é além demais um sinal de compromisso pessoal. Ao intercessor não o deixa indiferente a pessoa e a vida que se apresenta. De certa maneira, interceder compromete ao
intercessor a colaborar na medida de suas possibilidades, para ajudar que essa pessoa se sinta acompanhada, e para que se possa fazer algo, e se faça sem denúncia.

Toda a situação gerada pelo Covid19, de um clima de oração, nos empurra a comprometer-nos para por o melhor de cada qual em favor dos demais, de forma especial por quem sofre mais
vulnerabilidade e desamparo. Nada há pior que a indiferença ou o habituar-se ao mal, à dor e sofrimento que acontece à nossa volta, animo neste momento crucial, a “Deus implorando e com o
martelo dando”.

Neste mês e este fim de semana, fomos convidados a dois momentos de oração de intercessão, que deveriam ser todos os dias em nossa vida.

O mês de maio que acabamos de estrear, mês mariano na religiosidade popular, a Igreja universal é convidada pelo Papa Francisco a orar pelos diáconos. Dentro das intenções mensais que o Papa
convoca, para o mês de maio propõe: “Rezemos para que os diáconos, fiéis ao serviço da Palavra e dos pobres, sejam um sinal vivificante para toda a Igreja”. Todo um mês para que a Igreja ore por seus diáconos e suas famílias, para ativar diante de Deus o amor que as comunidades têm por estes irmãos, de forma que possam ser o sinal sacramental de Jesus, o Servo do género humano. Aqueles de nós que acreditamos na oração de intercessão agradecemos ao Papa esta convocatória, assim como a cada irmã e irmão que durante este mês apresentará ao Senhor o diácono que conhece e sua
família, também num sinal de generosidade fraterna, a todos os diáconos de sua diocese e do mundo, àqueles, sem conhecer, desejam que o amor de Deus se torne realidade em suas vidas.

Além demais, este fim de semana celebramos a 57 Jornada Mundial de Oração pelas Vocações, o Papa Francisco dirigiu-nos o habitual Mensagem, com o título de”As palavras da vocação”,
ressaltando quatro termos: “gratidão, animo, dor e louvor”. O Papa termina sua Mensagem com estas palavras: “desejo que a Igreja percorra este caminho ao serviço das vocações abrindo aberturas
no coração dos fiéis, para que cada um possa descobrir com gratidão o chamamento de Deus em sua vida, encontrar a coragem de lhe dizer “sim”.

Interceder diante de Deus pelas vocações que a Igreja necessita para levar adiante sua Missão evangelizadora: vocações laicas, matrimoniales, religiosas, consagradas, diaconais e presbiterais.

É por tanto um sinal de amor por todas e por todos eles, pelo”sim” dado em favor dos irmãos e irmãs e ao mesmo tempo um sinal de compromisso pessoal para ajudar a que cada um possa encontrar-se com o Senhor e possa descobrir a vocação a que é chamado.

A partir desta perspetiva não existem vocações de “especial consagração”, ou melhor dito, todas o são, não somente a vocação ao presbiterado, à vida religiosa ou à consagrada. Que seria dessas vocações específicas sem a vocação inicial e fundamental de seguimento de Jesus Cristo que nos dá
os sacramentos do batismo e da confirmação? Ou sem a vocação ao matrimónio – igreja doméstica –
onde podem surgir as demais vocações?
A partir da perspetiva da oração de intercessão, agradecesse a referência que o Papa faz em relação
com as vocações que surgem dos sacramentos vocacionais: ao” matrimónio e à ordem sacerdotal” -presbiterado e diaconado -. Algo que não acontece na maioria das Mensagens e Subsídios que as
diferentes Conferências Episcopais prepararam para esta Jornada Mundial de Oração, e que os diáconos casados e celibatários estão em falta, quando nossas comunidades se dirigem a Deus a
pedir por vocações que a Igreja necessita, desejaríamos que se explicitassem todas as vocações, que
são um autêntico presente de Deus.
Os diáconos juntam-se às palavras do Papa, por favor orai por nós, pela vocação diaconal – que é para vosso serviço -,nossas famílias e serviços a que somos convocados.

Seguimos intensamente as palavras que o Papa Francisco dirigiu em cada celebração do tríduo pascal. Parece-nos estimulante nestes momentos de pandemia, o convite a trabalhar pelo “contágio
da esperança”. Ainda ressoam em nossos corações as palavras a “Via Crucis”de Quinta-feira Santa, onde um diácono italiano, polícia penitenciário, apresentou a estação XIV.

Na Quarta-feira Santa conhecemos a instituição por parte do Papa de uma nova Comissão para o estudo do diaconado feminino, composta por dez membros, cinco mulheres e cinco homens, dois
deles diáconos. Pela proximidade e amizade, destaca-se entre os membros, o professor Santiago Del Cura, de quem juntamos o áudio da conferência dada no “Seminário sobre o Diaconado Permanente” na diocese de Bilbau, Espanha.

Continuamos a conhecer novos falecimentos de irmãos diáconos em diversos lugares do mundo, agradecemos a Deus o testemunho de suas vidas.

De Brasil incluímos a mensagem que dom João Francisco Salm, presidente da Comissão de Ministérios ordenados e da vida consagrada, da Conferência Nacional de Bispos de Brasil, dirigiu nestes momentos críticos, aos diáconos e esposas daquele país.

O CEBITEPAL comunicou que, por motivo da pandemia, suspende os cursos de formação sobre o diaconado, que ia realizar em México.

De Itália publicamos o artigo de nosso colaborador e amigo o diácono Enzo Petrolino: “Itinerários diaconais para uma conversão pastoral em tempo de pandemia”.

No apartado de “Retalhos de história do diaconado Ibero-Americano” juntamos, em modo de testemunho, o processo de restauração do diaconado na diocese brasileira de Campina-Grande.

Entre os testemunhos destacam os de vários diáconos brasileiros e espanhóis sobre a vivência do ministério em tempo de pandemia, o do diácono uruguaio Martín Sucías, o do diácono Juan Múgica em relação com a vivência de sua doença, e o do diácono Alejandro Abrante, sobre a evangelização por meio da música.

No apartado de publicações, editamos a profunda e formosa reflexão de Paloma Pérez Muniáin, colaboradora do Informativo e esposa de diácono, sob o título “Em tempos de coronavirus”, o artigo do diácono brasileiro José Bezerra de Araújo sobre “ O isolamento social e suas consequências”, e continuamos a publicar os artigos do diácono português Joaquim Armindo.

Começamos este mês de maio, olhamos a Maria “Saúde dos enfermos”, que ajude a Igreja a ser, no meio desta pandemia, sinal de esperança. Apresentamos a todos os trabalhadores do mundo, de forma especial àqueles que vêm em perigo seu lugar de trabalho. Neste mês de oração de intercessão diaconal na Igreja Universal, unimo-nos por meio desta oração:

Deus e Pai Nosso, fortalece com a graça do Espírito Santoa todos os diáconos de tua Igreja, para que desempenhem com alegría, fidelidade e em espírito de comunhão eclesial seu ministério pastoral, seguindo os passos de teu Filho Jesus Cristo, «que não veio para ser servido, mas sim a servir e dar a vida em redenção da humanidade» (Mc.10,45)

Pedimos-te pelas famílias dos diáconos casados, para que sejam autênticas «Igrejas domésticas», segundo o exemplo da Sagrada Família de Nazaré e delas surjam vocações sacerdotais e religiosas.

Virgem Maria, Mãe da Igreja e Rainha dos Apóstolos, roga pelos ministros do Senhor!

São Lourenço, diácono e mártir, roga pelos diáconos servidores do povo de Deus

Ámen.

Tradução do original: Diacono Mario Henrique Pinto

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Las siguientes reglas del RGPD deben leerse y aceptarse:
Este formulario recopila tu nombre, correo electrónico y e contenido para que podamos realizar un seguimiento de los comentarios dejados en la web. Para más información revisa nuestra política de privacidad, donde encontrarás más información sobre dónde, cómo y por qué almacenamos tus datos. Si das tu consentimiento entendemos que estas de acuerdo con nuestra política de protección de datos.