Uma teologia a partir da experiência do exercício ministerial

Uma teologia a partir da experiência do exercício ministerial

Diác. Gonzalo Eguía
Coordenador de Servir nas periferias
Bilbau, Espanha, 1 de setembro de 2020

A vida é a área privilegiada da experiência de Deus e, posteriormente, da Teologia.
Através dos eventos que acontecem na vida experimentamos a proximidade e o imenso amor de Deus. O chamamento e a resposta da fé tornam-se assim, uma relação pessoal e comunitária com Deus. Relendo a presença de Deus em nossas vidas, a história se torna uma história de salvação.

Existem várias correntes teológicas que manifestam a importância desse “lugar teológico”que supõe a vida, enfatizando também a realidade vital dos últimos e últimas deste mundo, como um olhar privilegiado de uma perspetiva eminentemente cristã e evangélica.

Após a decisão do Concílio Vaticano II de estabelecer o ministério diaconal como um ministério permanente, muitas têm sido as reflexões teológicas que têm vindo a ser feitas sobre ele. Não faltam aqueles que olharam para a origem do diaconado desde a igreja primitiva como garantia de sua existência, nem aqueles que insistem que não é tanto uma restauração desse ministério primitivo, mas uma atualização deste ministério diante da realidade e das demandas da Igreja e do mundo de hoje.

A Nota da Comissão Teológica Internacional de 2002, “O Diaconado: Evolução e Perspectivas”, apontou alguns elementos do ministério diaconal que tinham que ser esclarecidos teologicamente. Depois de dezoito anos ainda precisamos de uma perspetiva atual sobre a teologia do diaconado, particularmente no que diz respeito a temas que permanecem pendentes de reflexão, a saber: sua sacramentalidade, a interpretação da fórmula “Non ad sacerdotium, sed ad ministerium (episcopi)”,
o significado da expressão “na persona Christi servi” referindo-se ao diácono em relação com “in persona Christi capitis” vinculado ao ministério presbiteral, aquelas que estão relacionadas com as funções diaconais ministeriais, a unidade do sacramento da ordem e o diaconado feminino. Podemos até acrescentar questões que foram levantadas nas últimas décadas, tais como: a dupla sacramentalidade, as diaconias, a vida pastoral e familiar dos diáconos, a relação entre o ministério diaconal e o ministério episcopal, o “viri probati”…

A tarefa teológica pendente é ampla e apaixonante. A tradição da Igreja e de tantos autores das últimas décadas vão ajudando neste trabalho. Hoje gostaria de delinear a orientação vivencial e pastoral com a qual seria desejável que esses estudos fossem abordados.

Os diáconos muitas vezes sentem alguma perplexidade quando lemos reflexões teológicas dos chamados estudiosos do ministério diaconal, cujas principais fontes de acesso para suas pesquisas são referências biográficas, livros, tratados…e não passaram uma única hora de seu estudo a confrotar suas propostas com um diácono. É comum entre diáconos sorrir quando “outros” falam de nós e do ministério que a Igreja nos confiou, sabendo que os livros podem dizer o que quiserem, mas nós experimentamos diariamente a alegria de vivenciar o ministério diaconal, no qual “outros”
refletem. Alguns diáconos estão descontentes com afirmações teológicas do ministério diaconal que não se adequam ao que experimentam todos os dias, outros, com mais tranquilidade, paciência e anos de ministério, sorriem e continuam a servir, com sua clara identidade diaconal, a experiência da dupla sacramentalidade, e seu lugar na Igreja de hoje, que deseja servir o mundo a partir do projeto do Ressuscitado.

Há algum tempo, uma amiga, que acabou de terminar seus estudos de teologia e queria orientar sua tese de doutoramento, esposa de um dos primeiros diáconos permanentes ordenados em Espanha, consultou-me sobre o possível tema de estudo de sua tese. Não hesitei em responder, sugeri que investigasse sua experiência como esposa de um diácono com uma longa história conjugal e diaconal. Será que uma esposa de um diácono, familiarizada com o ministério diaconal tanto vivencial quanto teologicamente, privará a Igreja de sua própria reflexão teológica, o que só ela e talvez outras esposas interessadas no mundo sobre esta questão podem fazer? É uma segunda categoria uma tese de doutoramento em teologia aquela que segue os padrões de pesquisa desta disciplina, tenha como principal fonte de pesquisa a experiência da dupla sacramentalidade das esposas dos diáconos do mundo? “O que quer que você faça, ninguém fará, não prive a Igreja de sua contribuição”, respondi.

Estamos acostumados que as reflexões teológicas sobre o diaconado são quase sempre feitas por “outros”, quase sempre homens e principalmente padres. Estes, sem dúvida, que são capazes de fazer essa reflexão, muitos deles têm experiência com diáconos no exercício de seu ministério, mas considero que em nenhum caso pode substituir a reflexão que os próprios diáconos que vivem diariamente o exercício do ministério, ao qual as esposas de diáconos que compartilham a riqueza da experiência da sacramentalidade dupla podem oferecer, só elas e eles experimentam na primeira pessoa, mas essa experiência geralmente não se recolhe em qualquer reflexão teológica. Não posso esquecer os filhos e filhas de diáconos católicos, que experimentam a especificidade de ter um pai diácono, um clérigo não celibatário, e uma mãe companheira no caminho nessa aventura. Incluiria também entre os candidatos a oferecer essa reflexão teológica, a todas as pessoas, em todas as vocações, que convivem diariamente com os diáconos no exercício de seu ministério.

Pessoalmente, quando leio estudos e reflexões teológicas sobre o diaconado, pergunto-me que conhecimento vivencial e experiencial este autor tem sobre o diaconado, com que diácono tem trabalhado pastoralmente…

A pesquisa teológica sobre o diaconado deve, sem dúvida, continuar a ser boa para a Igreja e para o ministério diaconal, mas até que aqueles que experimentam cada dia o dom do ministério recebido, e aqueles que mais intimamente os acompanham, não contribuam com seus grãos de areia, essa reflexão teológica estará inacabada.

Em seu objetivo de reportar sobre o diaconado na América Latina, Servir nas periferias, dá um passo à frente e está presente no Facebook, através do link https://www.facebook.com/Servir-en-la-periferia-102978014868866, também pode ser acessado diretamente na web, através do ícone do Facebook que está localizado na margem superior direita.

Coletamos no Informativo deste mês o lançamento da web no Facebook da Rede Ibero-Americana de Diáconos Permanentes, incentivada por diáconos que buscam criar um espaço de encontro, crescimento ministerial e fraternidade.

Na medida em que a Pandemia de Covid 19 permite, as dioceses estão retomando as ordenações diaconais. O Informativo inclui as primeiras realizadas após os meses de confinamento, destaca a Arquidiocese de Santo Domingo (República Dominicana), com 17 novos diáconos, ou admissão às ordens de 25 candidatos na diocese de San José de Temuco, no Chile; e a instituição de 12 acólitos na diocese de Charlotte(EUA), vários deles ibero-americanos.

Por ocasião da celebração da festa do mártir e diácono São Lourenço, como de costume, várias notícias relacionadas às comemorações diaconais são fornecidas neste dia. Vale ressaltar a iniciativa da Conferência Episcopal Mexicana, que dedicou os primeiros dez dias de agosto a orar pelo ministério diaconal e diáconos, atribuindo todos os dias a uma diocese do país, onde, além da eucaristia diária presidida por cada bispo, diáconos e suas famílias, dinamizaram encontros de oração que têm sido seguidas por todo o país. Uma experiência a ser levada em conta na proposta à oração comunitária, bem como na divulgação do ministério diaconal.

Neste objetivo de informação do ministério diaconal destaca o simples vídeo que vem do Brasil, no qual dois adolescentes explicam de forma simples o que é ser um diácono permanente.

A relação que a Comissão Nacional de Diáconos do Brasil com diversas editoras, com o objetivo de oferecer formação teológica aos candidatos ao diaconado, e até mesmo aos próprios diáconos, passa a ter seus frutos, acabamos de conhecer a assinatura que foi feita com várias editoras para oferecer esse serviço.

Incluímos o link do vídeo da entrevista realizada ao diretor do diaconado permanente da Arquidiocese de Bogotá.

O Informativo inclui uma breve revisão publicada pelo CID sobre o processo formativo diaconal vivido nos Estados Unidos desde a restauração deste ministério naquele país.

Na secção de Depoimentos estão os itinerários vocacionais do diácono indígena Antelmo Pereira Angelo, que exerce seu ministério na diocese de Alto Solimões no Brasil, bem como o do diácono John Solart, após o ataque terrorista em Nova York em 2001.

Continuamos a lutar contra a pandemia mundial, como entramos em setembro, olhamos a Maria para pedir-lhe que apresente ao seu Filho todos os afetados e àqueles que estão na batalha contra o virús, mesmo em risco de sua própria vida, Maria, Saúde dos enfermos, rogai por nós.

Em nome da Equipa de Coordenação e Redação, um abraço fraterno.

Gonzalo Eguía

Tradução do original: Diacono Mario Henrique Pinto

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Las siguientes reglas del RGPD deben leerse y aceptarse:
Este formulario recopila tu nombre, correo electrónico y e contenido para que podamos realizar un seguimiento de los comentarios dejados en la web. Para más información revisa nuestra política de privacidad, donde encontrarás más información sobre dónde, cómo y por qué almacenamos tus datos. Si das tu consentimiento entendemos que estas de acuerdo con nuestra política de protección de datos.