EM SOLIDARIEDADE À AMAZÔNIA

Brasília (DF), 23 de agosto de 2019
EM SOLIDARIEDADE À AMAZÔNIA
“O homem não pode permanecer um espectador indiferente diante dessa destruição, nem a Igreja deve ficar em silêncio”. (Papa Francisco)
A Presidência, o Conselho Consultivo e as Assessorias da Comissão Nacional dos Diáconos (CND), reunidos no Centro Cultural Missionário, em Brasília (DF) para o planejamento de suas atividades, no dia de Santa Rosa de Lima, Padroeira da América Latina, em comunhão com a Igreja no Brasil e com o Papa Francisco, levantamos a nossa voz pela Amazônia, indignados com os últimos acontecimentos que afetam a Região: o descaso com os direitos dos povos indígenas; quilombolas e ribeirinhos, a destruição incontrolada da biodiversidade; a incongruência das medidas governamentais; a entrega indiscriminada da exploração dos recursos naturais ao grande capital. O Grito da Amazônia é o grito por liberdade e respeito à natureza, aos povos amazônicos e a toda a humanidade.
Como diáconos discípulos missionários de Cristo Servidor, levantamos a nossa voz em defesa da vida, diante da destruição irreparável que sofre a nossa Casa Comum. Nos unimos a todos que estão comprometidos com a Ecologia Integral, e ao mesmo tempo, incentivamos para que esclareçam, denunciem profeticamente toda destruição e cultura de morte, e promovam ações no âmbito das suas comunidades para garantir a preservação do Planeta.
Estamos convencidos que o Sínodo dos Bispos sobre a Amazônia será um acontecimento eclesial de luz e vida para todos os povos. Por isso, apoiamos com toda força e convicção, além de unir nossa oração ao Deus da Vida e Vida plena.
Diácono Francisco Salvador Pontes Filho
Presidente da CND

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Las siguientes reglas del RGPD deben leerse y aceptarse:
Este formulario recopila tu nombre, correo electrónico y e contenido para que podamos realizar un seguimiento de los comentarios dejados en la web. Para más información revisa nuestra política de privacidad, donde encontrarás más información sobre dónde, cómo y por qué almacenamos tus datos. Si das tu consentimiento entendemos que estas de acuerdo con nuestra política de protección de datos.