Igreja promove iniciativa inédita para aprofundar a missão dos diáconos permanentes

De 02 a 06 de abril, o Centro Cultural Missionário de Brasília (CCM) e a Comissão Nacional de Diáconos Permanentes da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) promoveram a 1ª Semana de Formação para Diáconos Permanentes.

Ao todo 26 diáconos de 20 de dioceses participaram da atividade. A maioria deles, segundo o assessor da Comissão Episcopal para a Ação Missionária, padre Antônio Niemiec, coordena escolas diaconais nos 18 regionais da CNBB e em suas dioceses. Fato importante, para o padre Antônio, porque a formação recebida no encontro poderá se multiplicar em outros espaços.

Segundo o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Missionária, dom Esmeraldo Farias Barreto, bispo auxiliar de São Luiz do Maranhão (MA) o encontro foi animado pelo grande desejo do Papa Francisco de ver uma Igreja cada vez mais defensora da vida, servidora e missionária. “Esta iniciativa busca ajudar os diáconos a viver melhor sua missão”, disse.

Padre Antônio Niemiec, assessor da Comissão para Ação Missonária. Foto: Assessoria de Imprensa CNBB/Matheus de Souza.

Missão dos diáconos – A reflexão do tema central ficou a cargo do padre Antônio Niemiec, assessor da Comissão Episcopal para Ação Missionária. O religioso ressaltou o fato de ser uma das primeiras iniciativas da Igreja para aprofundar a missão e a vocação dos diáconos. “Os diáconos, conforme o seu diretório,  participam da consagração e da missão de Cristo”, ressaltou.

O tema do encontro foi a “A pessoa do Diácono e a missão”. O encontro buscou como objetivo geral “proporcionar uma reflexão sobre o significado da Pessoa do Diácono Permanente em vista da missão que lhe foi confiada, de “Ser ícone de Cristo-Servidor constitui a identidade profunda do diácono” (Doc. 74 CNBB, nº 39) numa Igreja missionária”.

A primeira semana de formação buscou também resgatar os fundamentos teológicos da diaconia ao longo da história; refletir sobre a pessoa do Diácono à luz de uma Igreja em saída; oferecer elementos para que o diácono possa exercer bem a sua missão de servir e viver com alegria o anúncio do evangelho chegando às periferias geográficas, sociais e existenciais; e oportunizar aos participantes do curso um conhecimento de como a Missão se organiza na Igreja no Brasil e como eles também podem colaborar no crescimento de uma verdadeira cultura da Missão.

Tomado de: http://www.cnbb.org.br