Diácono Zeno Konzen
Presidente da CND

Saímos de agosto, mês das vocações, onde fomos convidados a olhar com mais atenção sobre todas as vocações dos filhos da Igreja que são chamados por Deus às multiformes vocações que se colocam a serviço dessa mesma Igreja. Não se trata de profissões, e sim, escolhas de vida cujo significado procede da relação de amor que temos com Deus Pai.

Irmãos e irmãs, neste mês de setembro a Igreja nos convida a um olhar mais profundo e uma vivencia concreta da Palavra de Deus, a Bíblia. E a Palavra nos ensina quais caminhos a seguir, especialmente na carta de São Tiago (Tg 1,22): “Sede praticantes da palavra e não meros ouvintes”.

Para que sejamos uma Igreja missionária, Igreja em saída, precisamos nos alicerçar na Sagrada Escritura. Meditando a Palavra de Deus em atitude de oração, individual ou comunitariamente sejamos firmes anunciadores da Boa Nova. Tenhamos em nossas vidas o salutar hábito da leitura orante e diária para as necessidades da Igreja, o Corpo de Cristo, quer nos textos bíblicos, quer no ofício da Liturgia das Horas, que nos dediquemos profundamente ao estudo e oração.

Sabiamente a Liturgia de setembro nos apresenta no dia 14 a festa da Exaltação da Santa Cruz e no dia seguinte a memória de Nossa Senhora das Dores. Esses dois momentos nos colocam diante da Cruz, caminho de salvação e nas dores de Maria a oportunidade de também colocar aos pés da Cruz nossas dores, nossas fraquezas e todo o peso de nossos pecados. Aí sim, poderemos tocar a Cruz do Bom Pastor e receber do madeiro de Cristo a paz que tanto precisamos. Por isso cantemos: “vitória tu reinarás, ó Cruz tu nos salvarás” e peçamos com fé: Nossa Senhora das Dores, rogai por nós.

Que estejamos sempre alegres no serviço do reino de Deus. Amem!